terça-feira, 22 de Janeiro de 2008

Avaliação/Conclusão do Projecto

Em termos gerais, o desenvolvimento do Projecto " Ponha a mão no coração" teve uma boa aceitação por parte dos utentes do Centro de Saúde e uma receptividade positiva por parte dos funcionários.
Todas as actividades seguiram o plano previsto. No entanto, a última actividade nomeadamente a Hora do Conto, não foi ao encontro das expectativas iniciais, pois alguns dos utentes internados encontravam-se debilitados, o que dificultou a participação/atenção pela actividade final.

Em suma: O Projecto "Ponha a mão no coração", apresentou-se como um projecto social, onde a acção solidária esteve sempre bastante presente. Não existiram dificuldades por parte da entidade que acolheu o projecto, o que fez com que o projecto decorre-se da forma prevista, o que resultou no cumprimento dos objectivos prupostos inicialmente:
Promover a humanização no Centro de Saúde; Promover uma melhoria no espaço físico; Minimizar a distância entre os sujeitos ; Redecorar os espaços; Promover a aquisição de novos hábitos e a promoção do diálogo.


Agradecemos ao Centro de Saúde da Sertã o acolhimento do nosso projecto,a disponibilidade por parte do mesmo, assim como, de todas as parcerias associadas ao projecto, e concluimos deste modo o Projecto " Ponha a mão no coração".

Realização das actividades 2º dia

No segundo e último dia iniciamos novamente as actividades com a distribuição dos kit's e finalizamos as actividades de produção. Da parte da tarde, iniciamos a Hora do Conto com os utentes do serviço de internamento. O fecho do projecto foi concluído, com a oferta em mão de alguns ramos de flores, não apenas para os utentes do internamento, mas também para alguns funcionários do Centro de Saúde que facilitaram a realização do projecto.

Imagens das actividades do 2º dia










segunda-feira, 21 de Janeiro de 2008

Realização das actividades 1º dia

Depois da apresentação formal do grupo aos funcionários e utentes do Centro de Saúde, iniciamos as actividades definidas para o primeiro dia: distribuição dos kit's afecto; actividade de produção. Em ambas as actividades, os utentes mostraram-se receptivos. O diálogo foi facilitado aquando ofereciamos o kit. O objectivo foi atingido e notou-se claramente um interesse no kit, no que ele significava e continha. Relativamente à actividade de produção de novos elementos decorativos, também foi bem recebida. As pessoas trocaram algum diálogo com o grupo, pois as paredes apresentavam-se em bastante mau estado, e o facto de as redecorar deu-lhes mais cor, o que se tornou em motivo de conversa e de riso.

Imagens das actividades do 1º dia















terça-feira, 15 de Janeiro de 2008

Cronograma



Calendarização das actividades

Dia 21 (Segunda-feira)
09:00h-Inicio/preparação das actividades
09:30h-Distribuição dos kit's afecto
Partilha de experiências
Troca de diálogo e afectos
11:00h-Inicio da actividade de produção
13.00h-Almoço
14:30h-Continuação da actividade de produção
17:00h- Fim das actividades do 1º dia

Dia 22 (Terça-feira)
09:30h-Continuação da distribuição dos kit's afecto
10:30h-Conclusão da actividade de produção
12:30h- Almoço
14.30h-Preparação e/ Hora do conto
Troca de afectos
Partilha de saberes
Distribuição de ofertas
17:00h-Despedida e conclusão do projecto

sábado, 22 de Dezembro de 2007

Projecto " Ponha a mão no coração"

Denominação do projecto

O Projecto de Intervenção “ Ponha a mão no coração”, vai decorrer nas instalações do Centro de Saúde da Sertã, entre os dias 21 e 22 de Janeiro de 2008, sendo o público-alvo a comunidade em geral, em particular os utentes.
O projecto procura investir na humanização no Centro de Saúde. Dessa forma, esta intervenção visa promover a aquisição de novos hábitos, porpocionando melhorias no contacto entre os utentes e o espaço físico, bem como, nas relações humanas entre profissionais de saúde e pacientes.
De acordo com Cembranelli, o conceito de humanização hospitalar “ é uma proposta tendo em vista a necessidade de se reestruturar, redimensionar a forma como as instituições públicas de saúde trabalham em relação à vida, ao sofrimento e à dor de um indivíduo que se encontra fragilizado por uma enfermidade”. 1

O Projecto desenvolve-se com base em dois objectivos gerais:

  1. Promover a humanização no Centro de Saúde;
  2. Promover uma melhoria no espaço físico.

Tendo como objectivos específicos:

  1. Minimizar a distância entre os sujeitos ;
  2. Redecorar os espaços;
  3. Promover a aquisição de novos hábitos;
  4. A promoção do diálogo .

Para isso, tem como metas:

  1. A construção de um kit afecto;
  2. A produção de elementos decorativos;
  3. A redacção e oração de um conto.

A mencionar ainda a existência de uma acção solidária do grupo para com os utentes do internamento. O grupo irá distribuir individualmente um ramo de flores a cada internado,afim de melhorar a sua condição.

Descrição das actividades

  • O kit Afecto foi criado com base em dois conceitos: Prevenção e afectividade.
    Contribui para o bem estar dos utentes do Centro de Saúde da Sertã; promove as relações interpessoais dos pacientes, enquanto estes aguardam na sala de espera e contribui para a aquisição de novos hábitos.
    É composto por um folheto informativo, que descreve um determinado orgão do corpo humano; uma doença que está directamente ligada a esse orgão, e formas de prevenção para o surgimento da doença. Contém ainda uma amostra de um chá curativo e um produto alimentar.
    Ainda a referir, que o conteúdo informativo do folheto é variável de mês a mês, estando cada mês direccionado para determinado tema.

  • A criação de elementos decorativos, é essencial, quando se pretende melhorar um espaço físico. Nesta actividade, o grupo optou por produzir, cartazes onde a palavra e a imagem se conjugam, afim de reconfortar os utentes; mobiles de várias formas, entre outros.

  • A ideia de contar um conto, surgiu do conceito infância. Esta actividade tem como objectivo específico a criação/construção de um imaginário infantil, que seja comun a todos os utentes. Pretende-se que, com a realização desta actividade os participantes, tenham a possibilidade de ouvir, relembrar e partilhar o tempo passado da infância.

Recursos materias

Vários tipos de papel; colas; tesouras de recortes; tintas de cor; cordel; fitas de cetim e algodão; feltro; k-line, entre outros materiais de desenho.

Sacos de plástico transparente; ráfia; folhetos informativos.

Pinturas faciais

Recursos humanos

Alunas de Animação Sociocultural; funcionários do Centro de Saúde da Sertã; utentes.

Contextualização do projecto de intervenção no âmbito de acção da ASC

"Falar em âmbitos de Animação Sociocultural significa ter presente a perspectiva tridimensional respeitante às suas estratégias de intervenção" ( ter em conta a dimensão etária; o espaço e as áreas temáticas, como a educação, o ambiente, o teatro,o turismo,entre outras).3
Em cada âmbito da ASC está implícito o recurso a formas concretas de actuação. O campo de acção da ASC move -se desde o teatro até à economia, ou seja: é tão vasto , que dificilmente se conseguirá chegar a uma quantificação.
Porém a Animação, seja de que âmbito for, possui uma acção, "cuja emergência é, determinada por uma dinâmica social em constante mudança, que origina a permanente promoção de relações interpessoais, comunicativas, humanas, solidárias, educativas e compremetidas com o desenvolvimento" ( Lopes, pág.315)
" A Animação Sócio-Cultural é um conjunto de práticas sociais que têm como finalidade estimular a iniciativa, bem como a participação das comunidades no processo do seu próprio desenvolvimento e na dinâmica global da vida sócio-política em que estão integrados." (UNESCO)
"O (a) animador (a) sociocultural é um (a) agente de desenvolvimento. Por essa circunstância, deve desempenhar funções gerais ou específicas conducentes ao êxito da melhoria da qualidade de vida das populações: comprometendo-se a estar atento à tradição e inovação cultural, obrigando-se a incentivar, apelar e organizar a participação dos indivíduos (...)." 2

No que diz respeito ao âmbito de actuação da nossa intervenção, entendemo-la, como uma animação estimulativa. Segundo o autor Marcelino de Sousa Lopes, " animação estimulativa recorre a uma metedologia que visa a que idosos preservem a sua capacidade de interacção, acedam à participação na vida comunitária (...)".
Designa-se como " um conjunto de técnicas e metedologias que têm a finalidade de potenciar os processos de normalização das actividades da vida quotidiana da pessoa, de provocar o desenvolvimento das capacidades preservadas e ao mesmo tempo ajudar a recuperar as perdidas" . 4
A animação estimulativa deve proporcionar ao indivíduo os meios e os instrumentos para que este se possa relacionar com o meio de forma a potenciar processos de interacção com outras pessoas. Ainda a referir que "a animação estimulativa tem a finalidade de conferir dignidade à pessoa desenvolvendo lhe a capacidade relacional e os meios para que possa participar, decidir , optar. Age a partir dos seguintes postulados: conceito pessoa; conceito meio; participação". ( Lopes, pág.331)
Em suma: " a Animação Sociocultural e estimulativa: centra os seus objectivos no desenvolvimento de capacidades de relacionamento das pessoas com o meio, potenciando os processos de interacção com os outros, na busca de superação de problemas e na tentativa de se vencer o desânimo, estimulando o que há de positivo na vida." ( Lopes, pág.331)
A Animação Sociocultural e estimulativa juntamente com a partilha de afectos, podem trabalhar em conjunto para desenvolver uma nova forma de estar no contexto hospitalar. O espaço físico dos centros hospitalares é associado a um espaço frio e solitário. Sozinho e absorvido na sua doença o utente distancia-se do espaço onde se insere e dos outros que partilham, também esse espaço.
Neste sentido, este projecto de intervenção contribui ,para que, as formas de atendimento, a promoção da saúde e a relação entre utentes possa ser melhorada.